O primeiro dia do V Seminário Internacional – Gestão do Risco de Desastres, promovido pelo Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais (CBMMG), em conjunto com outros órgãos, reflete o sucesso do evento. Há quatro anos, o Seminário discute conhecimentos e práticas voltadas para o aprimoramento da comunidade envolvida na Proteção e Defesa Civil.

O auditório repleto reforça a importância desse encontro, que reúne agentes de vários setores envolvidos no abrangente trabalho de Defesa Civil. Ao som da Bombeiros Instrumental Orquestra Show (BIOS), os preletores tomaram assento para uma sequência de explanações. Nestes dois dias, o público poderá assimilar o conhecimento de figuras importantes do cenário nacional e internacional e das novas técnicas implementadas em cidades que vivenciaram grandes catástrofes ou que trabalharam num planejamento estratégico que as tornaram resilientes.

O Comandante-Geral do CBMMG, Coronel Cláudio Roberto de Souza, deu as boas-vindas aos participantes e destacou a importância do encontro: “o Corpo de Bombeiros tem a honra de participar deste Seminário, uma vez que o desastre, por menor que seja, necessita de máxima atenção. E, por ser uma instituição humanitária, o Corpo de Bombeiros está presente na maioria dessas calamidades. Em conjunto com a Defesa Civil, a instituição se esforça para oferecer o amparo necessário à sociedade nos piores momentos. A gestão dos desastres demanda cada vez mais empenho, dedicação e planejamento”, concluiu o comandante dos bombeiros.

O Tenente-Coronel Anderson Passos, comandante do 8º Batalhão de Bombeiros Militar, sediado na cidade de Uberaba, Território Sul do estado, destacou assim a iniciativa: “Um evento como este estimula boas práticas e um nivelamento técnico de outras regiões do estado. Além disso, fortalece a percepção dos bombeiros de que a atividade de Defesa Civil também é atividade resposta, e o planejamento é que é a base. Precisamos trabalhar a participação e organização da sociedade para que a Defesa Civil seja praticada, e que todo esse conhecimento seja transformado em qualidade de vida para o cidadão”, afirmou Passos.
Para o cadete Pedro Ivo Nogueira Pereira, da Academia de Bombeiros Militares (ABM), essa é uma oportunidade singular, que ampliará o conhecimento dos futuros oficiais: “Participar de um Seminário como este, ouvindo pessoas experientes de vários lugares do mundo, é muito importante para nossa formação”, comentou.

Confira os destaques dos palestrantes:“Ao longo das décadas, o Brasil vem enfrentando desastres naturais, como no Rio de janeiro e Santa Catarina. Desde então, o país virou um foco para essa conscientização da Defesa Civil e da prevenção contra desastres naturais. Entretanto, o Japão, há séculos vem vivenciando inúmeros acidentes naturais e conta com um histórico neste processo de como enfrentar os acontecimentos. Nesse sentido, acredito que o Seminário seja extremamente oportuno para a troca de informações e experiências em que ambos os países possam se beneficiar.” Daisuke Yokoyama, 2º Secretário da Embaixada do Japão.

“É a terceira vez que eu participo do evento e a importância é exatamente essa: O evento vem se mantendo todos os anos. Isso é fundamental, pois a cultura da gestão de risco está sendo incorporada no estado de Minas. Cidades resilientes se preparam para situações adversas e recuperação de forma mais rápida, aproveitando as potencialidades. Experiências que não deram certo no passado são importantes para outras cidades, pois passa-se a se pensar em cidades mais resilientes e mais sustentáveis.” Sidney Furtado – Promotor da campanha Cidades Resilientes das Nações Unidas.

“Essa é uma colaboração pelo mundo todo, em que integra todos os serviços de combate ao fogo como Corpo de Bombeiros e também de Defesa Civil para aprender com a troca de experiências e práticas de cada instituição.” Susan Ellison-Bunce da London Fire Brigade.

Fonte :Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais